A VIDA / LA VITA

Padre Rogério Ruvoletto

 

Nasceu no dia 23 de maio de 1957, na cidade de Galta di Vigonovo (província de Veneza) diocese de Padova, Itália. Filho de Giovanni e Agnese Angi; suas irmãs Giuliana, Rosana, Wilma e Luisa. Foi ordenado padre no dia 6 de Junho em 1982 pelo Bispo Filippo Franceschi, do qual foi secretário durante todos o seu episcopado por 7 anos, de 1982 a 1988. Após o falecimento do Bispo Filippo Franceschi a 63 anos por grave doença, dedicou-se a formação de Teologia Dogmatica em Roma, na Universidade gegoriana, onde consegui a formatra. Retornando a diocese de Padua em Agosto de 1994, trabalhou durante um ano com as Pastorais Sociais como bispo delegado. No ano 1995 foi nomeado Diretor do Centro Missionário Diocesano, por 8 anos até o ano 2003, acompanhando os missionários diocesanos de Padua presente na Africa, america Latina e Tailândia.

 

Sentindo a necessidade de enviar missionários para o Brasil e não ter naquele momento padres disponíveis para missão, decidiu ele mesmo assumir a missão no Brasil e em Júlio de 2003, como missionário Fidei Donum, em Mangaratiba na diocese de Itaguai como padre em Mangaratiba, junto com padre Orazio Zecchin. No ano 2005 até o ano 2007 trabalho na Diocese de Pesqueira, no Pernanbuco, ao lado do Bispo Francisco Biasin.

 

Através das Missões Continentais e o do Projeto “Cristo aponta para a Amazônia” e respondendo a Conferência de Aparecida, aceitou o convite de ser enviado para a Arquidiocese de Manaus em 2008, como padre responsável da Área Missionária Imaculado Coração de Maria na companhia do diácono Luiz Benevaldo.

Sua atuação na área missionária teve um curto período, porém muito marcante para todos e todas que tiveram a possibilidade de conviver e partilhar de suas experiências. Seu carisma, seu sorriso contagiante e sua presença nas casas, sempre junto das famílias e também um olhar carinhoso pelos mais necessitados, despertou em muitas pessoas a alegria de servir com gratidão e de levar a evangelização a todos. Era muito presente nas comunidades das estradas e não se negava a estar aonde o chamava.

Por estar sempre à disposição era convidado a estar em vários espaços de nossa Arquidiocese de Manaus. Gostava de participar dos encontros das Pastorais Sociais, das Escolas de Fé e Política e esteve presente no 13º Intereclesial das Cebs aconteceu em Porto Velho.

 

No dia 19 de setembro de 2009, infelizmente fomos acordados com a triste notícia de seu assassinato em seu quarto. Um trágico ato que tirou sua vida, sua possibilidade de continuar sua missão na Amazônia. Nos foi tirado a possibilidade de crescimento de vida missionária ao deste missionário que tanto amou a Amazônia, nossa Arquidiocese e nossa área Missionária. Seus ensinamentos estarão presentes em nossa vida para sempre.

...se não fosse enviado para missão, eu teria aceitado a mesma situação, no entanto a missão é a própria vida da Igreja, a acolhida do estrangeiro, um caminho educacional e favoravel a promoção humana...” Padre Rogério Ruvoletto

 

Padre Rogério Ruvoletto

 

Nato il 23 maggio 1957, nella città del di di Galta Vigonovo, (provincia di Venezia) diocesi di Padova, Italia. Figlio di Giovanni ed Agnese Angi; le sue sorelle sono Giuliana, Rosanna, Wilma e Luisa. É sato ordinato sacerdote il 6 Giugno del 1982 da Vescovo Filippo Franceschi, del quale é stato segretario durante tutto il suo episcopato durato 7 anni, dal 1982 al 1988. Dopo la morte del Vescovo Franceschi all'etá di 63 anni per una grave malattia, si dedicó agli studi di Teologia Dogmatica a Roma, presso l'Universitá Gregoriana, dove ottenne la licenza. Successivamente fece  ritorno in diocesi di Padova nell'Agosto del 1994 e lavorò per un anno con le Pastorali Sociali come delegato del vescovo.

Nel 1995 é stato nominato Direttore del Centro di Missionario Diocesano,  dove ha svolto l'incarico per 8 anni fino al 2003, accompagnando i missionari diocesani di Padova presenti in Africa, America Latina e Thailandia.

 

Sentendo il bisogno di inviare missionari in Brasile e non avendo in quel momento a disposizione dei sacerdoti da inviare in missione, decise lui stesso di offrirsi per la missione in Brasile nel Lúglio 2003, come missionario Fidei Donum a Mangaratiba nella diocesi di Itaguai, insieme a don Orazio Zecchin. Dal 2005 alla fine del 2007 operó nella Diocesi di Pesqueira, in Pernambuco, a fianco del Vescovo Francisco Biasin.

 

Tramite le Missioni Continentali e il progetto "Cristo presente in Amazzonia" e in risposta alla Conferenza di Aparecida, in gennaio del 2008 accettò l'invito di essere inviato nell'Arcidiocesi di Manaus come prete responsabile dell'Area Missionaria Immacolato Cuore di Maria, assieme al diacono Luiz Benevaldo.

La sua presenza nell'area missionaria è stata breve, ma molto importante per tutte le persone che hanno avuto la possibilità di collaborare con lui e condividere le sue esperienze. Il suo carisma, il suo sorriso contagioso e la sua presenza nelle case, sempre vicino alle famiglie con uno sguardo affettuoso per le persone più bisognose, animò in molte persone la felicità di servire con gratitudine e di portare il Vangelo a tutti. Era molto presente nelle comunità della strada e non rifiutava di andare ovunque lo chiamassero. 

Grazie alla sua grande disponibilità fu invitato in molte occasioni di incontro della nostra Arcidiocesi di Manaus.

Gli piaceva partecipare agli incontri delle Pastorali Sociali, delle Scuole di Fede e Politica. Partecipò al XIII Incontro Interecclesiale delle CEBS (Comunità Ecclesiali di Base) a Porto Velho.

Il 19 settembre 2009 ci siamo svegliati con la triste notizia del suo assassinio, avvenuto nella sua stanza. Un tragico evento che ha portato via la sua vita, la sua possibilità di continuare la missione in Amazzonia. Ci è stata tolta la possibilità di far crescere la nostra area missionaria vicino a questo missionario che amò molto l'Amazzonia e la nostra Arcidiocesi e la nostra area missionaria.

I suoi insegnamenti saranno presenti nella nostra vita per sempre.

"... Se non fossi stato inviato per la missione, io avrei vissuto la stessa situazione, perché la missione è la vita vera della Chiesa, l'accoglienza dello straniero, un cammino di educazione e di disponibilità alla promozione dell’uomo...". Padre Rogério Ruvoletto.